segunda-feira, 30 de maio de 2011

CinemaScope: X-Men Origens: Wolverine

Publçicado originalmente em: http://www.uarevaa.com/2011/05/cinemascope-x-men-origens-wolverine.html


Com a chegada de X-men First Class semana que vem, o CinemaScope volta a uns 2 anos atrás pra relembrar o pior filme da franquia X até então feito, afinal, quando o Deadpool consegue ser um elemento bom de uma historia, boa coisa não deve ser.Continua abaixo.

Com a intenção de realmente formar um universo 100% mutante separado de outros filmes da Marvel no cinema, o filme do Wolverine deveria trazer a origem do personagem que se encaixasse com o grande publico mas quer também serviria pra construir uma cronologia pros filmes. Mas o problema que o diretor Gavin Hood queria o filme de um jeito e a Fox queria de outro, que gerou mudanças, e depois do sucesso de The Dark Knight, que seguia uma linha mais psicologica que Hood queria seguir, surgiu mais mudanças. mas o ditado já dizia: quanto mais mexe na merda mas ela fede. Durante as gravações houve novamente impasses entre diretor e estudio, sendo certas cenas dirigidas até mesmo pelo Richard Donner. No fim das contas, saiu aquilo que saiu e tivemos que aceitar esse fato.

Vamos a história: começando no seculo 17 no Canadá, o jovem James descobre que o filho do criado da casa, Victor é seu irmão, e após um incidente que fez despartar seus poderes mutantes (no caso as garras de ossos) eles fogem de caso, crescendo e lutando em varias guerras importantes da história do mundo, e sembre sobrevivendo graças a seu fator de cura.Durante a guerra do Vietnam, James Logan(Hugh Jackman), aka Wolverine e Victor, aka Dentes de Sabre(Liev Schreiber) são chamados pelo coronel Willian Stryker (dessa vez vivido por Danny Huston) para participar de um esquadrão formado só de mutantes, entre eles Deadpool (Ryan Reynolds) e Agente Zero (Daniel Henney).

Mas devido a brutalidade da equipe, Logan sai da equipe pra viver nas montanhas canadenses com Kayla Silverfox(Lynn Collins). Anos mais tarde, Victor volta a ativa e mata Kayla, fazendo que Logan descubra via Stryker que ele está eliminando seus companheiro de Esquadrão.Ao fazer parte de um experimento que colocou o metal adamantium em seus ossos, Logan descobre uma conspiração com mutantes muito maior que ele imagina, que envolve todos ao seu redor e que irá definir o seu futuro.

Bem, pra começar, porque exatamente o filme é ruim? Ou o filme é ruim porque é uma má adaptação? Na verdade, ambos. Muitas das situações na historia poderiam ter sido diferentes de eles não agissem como quisesem cair na porrada toda hora um com os outros, apenas chegassem e conversassem e batessem um papo. As coisas acontecem como se fossem um video game, fase por fase.E pior, um jogo ruim com historia ruim, motivos banais e razões idiotas para ações idiotas. Os motivos pro Wolverine se chamar assim são ruins, assim como a relação entre Victor e Logan é retratada de forma clichê, e a maneira que Stryker manipula a situação faz qualquer um perceber que tem algo errado, e o relacionamento com Kayla não tem quimica, não convence.

Mas quem sofre com isso, (literalmente) é o corpo do Wolverine, já que a terrivel ideia das balas de adamantium junto com o fato de após a operação que implantou o metal em seus ossos ele sair andando como se nada tivesse acontecido também não contruibui pra veracidade da coisa, já que até então nos filmes do Singer tinha passado a ideia que a injeção de adamantium que fez ele perder a memória, porque o corpo quase não aguentou o procedimento. Até a ambientação do filme sofre problemas, já que vai dos anos 60 até o quase inicio dos anos 80, mas simplesmente não aparenta isso, não parece um filme de época. A falta de violência (leia-se : sangue) de fato também não ajuda a dar credibilidade.

Mas o filme não tem boas coisas? Tem. Primeiro a cena de abertura, que mostra Logan e Victor durante as guerras do mundo, foi muito bem feita.Segundo, Ryan Reynolds como Deadpool, um dos piores personagens já criados.Não sei se é pelo pouco tempo de tela ou pelo fato do Barakapool ser MUITO melhor que o personagem nos quadrinhos, mas no filme ele chega a ser suportavel e até mesmo engraçado. E as cenas de ação no geral merecem destaque também, podem não ter sentido pra acontecer mas são bem feitas.E também para o bem ou para o mal ajudou a formar uma unidade temporal ate agora, já que provavelmente First Class vai chegar pra embaralhar a cronologia.

No geral, os problemas para fazer o filme só deixaram o resultado final pior que o planejado, numa chance de finalmente mostrar o personagem livre de certas limitações pelo fato dele estar dentro dos X-Men.Se os problemas com The Wolverine acabarem, quem sabe não vemos o personagem como se deve nas telonas...

Nota:2.5



Esse post faz parte de uma retrospectiva que estou fazendo no meu blog, contendo reviews de X-Men O Filme, X-Men 2 e X3:O Confronto Final. Só clicar nos nomes pra vocês lerem.Na proxima sexta sem falta sai meu review de First Class, fiquem ligados!

sexta-feira, 27 de maio de 2011

Curta Você Também: Batalha dos Bonds

Publicado originalmente em: http://www.uarevaa.com/2011/05/curta-voce-tambem-batalha-dos-bonds.html



James Bond finalmente achou um inimigo a altura: ele mesmo.

Adoro filmes em stop-motion, e apesar dessa tecnica hoje em dia não ser muito explorada em filmes de longa metragem, na internet ele ainda permanece vivo em forma de curtas metragens."Batlle of Bonds" é feito e dirigido por Kyle Roberts, com 8 meses de filmagem e mais de 5.000 fotos tiradas para que o filme criasse vida. No caso James Bond terá que enfrentar todas suas versões cinematograficas com muito humor e ação.Vale a pena conferir especialmente se você for fã de 007.Você pode conferir outros trabalhos do diretor aqui.


quinta-feira, 26 de maio de 2011

Revirando o Baú Especial: X-Men 3: O Confronto Final


Antes de mais nada, leia os reviews anteriores dos filmes aqui e aqui.


Depois da saida repentina de Bryan Singer para assumir a direção de Superman Returns, a vaga para a conclusão da trilogia ficou aberta, com varios rumores e idas e vindas da direção (especialmente Matthew Vaughn, que acabou assumindo os mutantes com X-Men First Class) e que acabou nas mãos de Brett Ratner (Hora do Rush), que trouxe um filme mediano em relação as partes anteriores, mas não tão ruim quanto muitos hoje em dia acusam.

Vamos a história: No começo do filme, dois flashbacks mostram coisas importantes para o futuro da trama: o primeiro encontro de Charles Xavier(Patrick Stewart) e Eric Lenherr(Ian Mckellen) com a jovem e poderosa Jean Gray, e o jovem Warren Worthington III (que crescido é feito por Ben Foster) cortando suas recem adquiridas asas.Os anos passam, e mostram os eventos ocorridos algum tempo depois de X-Men 2, onde uma "cura" para o gene mutante é criado e gera polêmicas entre os X-Men e a novamente reformada Irmandade de Mutantes do agora fugitivo Magneto.Pra completar, a crescida Jean Grey (Famke Janssen) volta do mundo dos mortos e seu lado maligno escondido em seu subconciente, A Fenix, vem a tona, obrigando Wolverine (Hugh Jackman) a finalmente tomar posição perante lutar na guerra definitiva entre os mutantes e ter que, provavelmente, matar seu amor.

Bem, com a mudança de direção, obviamente algumas coisas foram mantidas e outras foram mudadas.Por exemplo, a ação se tornou muito maior, mais easter eggs em cena, ainda mantem os momentos dramáticos bem feitos,mas a narrativa sofreu um pouco, especialmete pelo fato do filme ter dois plots paralelos que não se cruzam.Você tem ótimas cenas em relação a Jean e a "Cura", mas não é sentido que as duas se complementam dentro do filme.

Quem paga mais por isso é especialmente o Anjo, que está lá apenas por está.A ideia que Jean Grey seja o passo adiante dos mutantes e como ela é usada como arma de poder poderia carregar muito bem o filme inteiro, mas junto com a trama da "Cura" e do tipo de controle que ela pode exercer não funciona 100% dentro do grande escopo do filme.A união entre os temas não é exatamente organico.Mas em compensação a trama que tem amsi destaque, que é a da Cura, é bem tratada dentro do espaçom permitido, já que além de dois plots paralelos, tem um monte de personagens a serem trabalhados.

No caso dos personagens novos, já falei do Anjo, que merecia mais destaque pra exatamente tirar a fama dele entre alguns de personagem inutil.O Fanático, apesar de não seguir a origem das HQs, consegue se destacar nas cenas por ser um alivio cômico que funciona além de estar incrivel nas cenas de ação. Kitty Pride ganha destaque depois de duas participações nos ultimos filmes, e mesmo com o tempo dividido com inumeras outras coisas, o triangulo Vampira-Bobby-Kitty é bem bacana e tem seus momentos.Mas a melhor adição a serie e a ao filme sem sombra de duvidas é Kelsey Grammer como Fera, que está perfeito no papel.

Vampira teve pouca participação porque Anna Paquin estava com outros projetos agendados na época, mas achei o final da Vampira satisfátorio.Acho que o destino do Ciclope não é necessariamente aquele mostrado no filme, acho que tem espaço em aberto pra ele voltar, e que tenha sentido dentro das coisas, assim como o papel da Mística após os eventos deste filme,e a ideia de que a tal "Cura" não é permanente, afinal os poderes de Leech (Cameron Bright) de bloquear os poderes dos outros só funcionam quando está perto deles, fazendo sentido que o medicamento funcione por tempo determinado, que pode gerar (ou não) uma volta da paranóia mutante num mundo onde finalmente o equilibrio se estabeleceu.Acho também que deveriam ter colocado a cena no final em que Wolverine voltava por Canadá, porque apesar de ter tomado parte pelos X-Men, não há a necesidade dele ficar na Mansão, já que novamente não tem nada a defender.

Bem no final, The Last Stand trouxe um filme com ótimos momentos que não são balanceados bem, mas que de forma nenhuma torna o filme o pior da franquia, muito menos um filme ruim por sí só.Afinal, o spin off do Wolverine taí para provar o contrario.




Nota:7.0

Meu review de Origens: Wolverine e First Class vão sair no Uarevaa! Fiquem de olho nas proximas semanas!

quarta-feira, 25 de maio de 2011

Plantão do Monitor: DC + Aventura #1

Publicado originalmente em: http://blogclimax.blogspot.com/2011/05/plantao-do-monitor-dc-aventura-1.html


[Monitor.jpg]http://www.blogger.com/img/blank.gif

Vocês já viram a versão com a Marvel, agora é com a DC!

A linha "+ Aventura" proposta pela Panini é trazer historias classicas fechadas de personagens da Marvel e da DC por um preço acessivel. O que muitos acham que possa ser o inicio da derrocada da Panini com quadrinhos no Brasil (dado o historico da Abril ter seguido mais ou menos caminho), mas eu vejo a oportunidade de ter acesso a classicos, como o que esta edição apresenta.


No caso a revista trás 2 histórias, mais duas historias curtinhas. No caso as principais são "O Caso da Sociedade Quimica" por Bob Kane (roteiro e arte) e "O Homem do Capuz Vermelho" de Bok Kane (Roteiro), Sheldon Moldoff e George Roussos (arte), que contam no caso a primeira aparição do Batman e a primeria versão (e até hoje de certa forma oficial) do Coringa, que já foi publicada aqui no Brasil na compilação "Eu, O Coringa".

As historias são simples e envolvem uma Gotham City (ou Nova Your) muito diferente das de hoje em dia, mas mesmo assim com mistérios e astucias para as jovens mentes da decada de 40. Além de ter um valor historico imcomparavel e serm bem divertidas de ler, alias. Nas últimas paginas, a versão "Reader's Digest" das origens do Batman e do Coringa, publicadas durante 52 e Countdown to Final Crisis, escrita pelo fodão Mark Waid e desenhada pelos tambem fodões Andy Kubert e Brian Bolland, e com capa comemorativa do Mike Mignolia pra edição #700 de 'Batman'. Leitura recomendadíssima.Pena é esperar por mais 2 meses pra outro...

Nota:9.0

terça-feira, 24 de maio de 2011

CinemaScope Informa: Mostra Hitchcock em breve!

Publicado originalmente em: http://www.uarevaa.com/2011/05/cinemascope-informa-mostra-hitchcock-em.html




No Rio de Janeiro e São Paulo vai rolar uma mostra com praticamente toda, mas TODA a filmografia de Alfred Hitchcock, indo de seus primeiros filmes americanos, o seriado "Alfred Hitchcock Apresenta" até seus mais famosos filmes, como Psicose, Janela Indiscreta, os Passaros, etc.
A mostra também terá cursos sobre a obra do diretor, dividos entre 6 aulas falando sobre diferentes caracteristicas de seu trabalho.Os periodos de inscrição pro curso no Rio de Janeiro vão até dia 31 de maio, e pros cursos em São Paulo vão até 8 de julho, e só podem ser feitas pelo site da mostra, que você pode acessar aqui. Abaixo vão alguns trailers de filmes do cara (a maioria montagens de fãs, não consegui achar os originais), e não, não haverá uma exibição extra com Psicose 2 em nenhum dos 3 locais...







Se lembram da paródia do Animaniacs do video acima?







Na Proxima Semana: Quando Deadpool consegue ser a melhor coisa de uma historia (ou de qualquer coisa), alguma coisa está muito errada. Com a chegada de X-Men First Class, o CinemaScope relembra X-Men Origins: Wolverine!Inté!

segunda-feira, 23 de maio de 2011

Revirando o Baú Especial: X-Men 2



Antes de mais nada,leia a parte 1 deste especial aqui.


Seguindo com o especial que fala sobre os filmes mutantes, vamos com o segundo (até agora o melhor) filme da franquia dos X-Men! Depois de 3 anos após o primeiro filme, no caso adaptando o arco "Deus Ama, O Homem Mata" de Chris Claremont, bem no inicio da carreira dos escritor com os mutantes, Bryan Singer e equipe trouxe um filme com uma escala maior e que permitiu explorar melhor o mundo criado e sua fidelidade como adaptação, se tornando assim uma das melhores adaptações de quadrinhos que se tem.
Vamos a história: um atentado contra a vida do presidênte dos Estados Unidos faz que a revolta mutante volte a se espalhar pelo país. Manipulando o incidente usando o inocente mutante alemão Noturno (Alan Cumming) com um soro que atinge o sistema nervoso, o general Willian Stryker (Brian Cox) vê uma oportunidade de atacar a Escola Xavier para Estudantes Superdotados com o aval do governo.Mas suas intenções são outras, já que ele deseja o Cerébro para seus experimentos que podem por em risco toda a vida mutante na terra.

Enquanto isso de desenrola, Magneto (Ian Mckellen) consegue escapar da prisão, Wolverine (Hugh Jackman) volta ao Instituto, fazendo que seu flerte com Jean Grey(Famke Janssen) aumente ainda mais, especialmente com Xavier (Patrick Stewart) e Ciclope(James Marsden) nas mãos do General. Tempestade começa a se aproximar de Noturno e tentar entender sua visão de ver o mundo, enquanto Vampira (Anna Paquin) e Bobby aka Homem de Gelo(Shawn Ashmore) engatam uma relação. mas secretamente, algo acontece com Jean, que no futuro (leia-se 3° filme) pode desencandear para algo ameaçador...

Este filme, diferentemente do primeiro, se trata sobre duas coisas.Primeiramente , é sobre fé, no sentido de no que você se agarra para se manter forte.Na raiva, na religião, na companhia de outro que ama? No fim das contas ele mostra os alicerces que fazem a comunidade mutante, como pessoas, sobreviverem ao preconceito.E é esse preconceito no caso que é explorado de fato no filme.Se no primeiro foi mostrado que há uma rachadura dentro dos mutantes de como eles devem se comportar, nesse filme eles são colocados como iguais na posição de que são procurados, marginalizados, e alvo de preconceitos.Os párias, aqueles que todos odeiam, sempre fugindo dos humanos que querem fazer mal a eles.Uma tentativa de guerra entre mutantes e humanos e como o acontecimento disso pode interferir no futuro.

Como Wolverine, de certa maneira, é o personagem que vende na franquia X, mais de sua origem e suas conexões com o vilão do filme são mostradas.O interessante aqui é a ideia de que de certo modo Magneto e Xavier sabem daonde vem Wolverine, mas não necessariamente saber quem ele foi antes de injetar o adamantium (e até mesmo antes da Arma X, quem sabe ela e Logan não aparecem na sequência de First Class?), além do fato que Lady lethal (Kelly Hu) é uma adversária formidavel e a altura ao Carcaju .Obvio que há diferenças entre o padre extremista das HQs e o general-cientista do filme, mas ambos são mostrados como o lado humano (no sentido homo sapiens) e calculista da guerra mutante, que sempre está ao ponto de começar, mas que ninguem até então deu o passo mais ousado.

Também é bacana no filme a interação entre Tempetade e Noturno. Você percebe que apesar de não terem mostrado seu passado, que Ororo teve uma infância dificil e guarda ainda muitas mágoas e recentimentos, enquanto Noturna ensina a ela que tem coisas muito boas que a fé pode trazer, além de ser ajuda espirtual aos problemas da vida, também pode ensinar coisas que a tornam uma pessoa melhor, como o perdão.Enquanto isso , na parte romântica da história, Jean escolhe Scott a Wolverine, e Vampira e Bobby são usados meio que um simbolismo ao tipo de flertye que eles tem, de estarem juntos mas não poderem se tocar.Legal ver Mistica ganhando mais espaço, num velho caso onde fazendo pouco se mostra muito.


Também é claro (e bacana) ver as participações de certos mutantes, como Colossus, e a penca de easter eggs no computador de Stryker, que vão do Quarteto Fantástico a importantes cenários e personagens do mundo mutante.Foi claro na intenção do diretor e dos produtores de eles serem a "Segunda Geração" de X-Men no futuro, até mesmo a possibilidade de um spin off com os Jovens Mutantes liderados pela Vampira e Homem de Gelo, quem sabe.

No fim das contas, X-Men 2 se coloca como uma das melhores adaptações de quadrinhos de ainda hoje o melhor filme dos X-Men já feito, tornando o tema principal organico junto com a ação.

NOTA:9.0



segunda-feira, 16 de maio de 2011

CinemaScope: Strangeland - Mórbido Silêncio

Publicado originalmente em: http://www.uarevaa.com/2011/05/cinemascope-strangeland-morbido.html





"Tanta carne pra tão pouco tempo!" Capitão Howdy

O CinemaScope desta semana fala sobre o filme de terror cult do vocalista do Twisted Sister, Dee Snider, baseado na musica em duas partes Horrorteria, que se divide entre Captain Howdy e Street Justice, assim como o filme em si.

No filme temos duas garotas numa sala de internet, conversando nesses chats UOL da vida, duas garotas são convidadas a ir a casa do misterioso Capitão Howdy (Dee Snider) para uma soposta festa, que se revela um ciclo de sadismo e sadomasoquismo quando o Capitão as expõe a todos os tipos de dor para uma "evolução espiritual".O problema que uma dessas garotas,Genevieve (Linda Cardellini, a Velma gostosona dos filmes do Scooby Doo), é filha do detetive Mike Gage (Kevin Cage), que depois de persegui-lo na internet com a ajuda da sobrinha (Amy Smart, a namorada de Chev Chelios em Adrenalina 1 e 2), consegue achar a casa do cara, e levá-lo as autoridades.Depois de quatro anos, já rebilitado e livre da imagem do Capitão, Carleton Hendricks finalmente é liberto, mas sofre nas mãos da população católica-radical-sulista (entre eles o grande Robert Englund) e na omissão de Cage por ajuda, fazendo que o dêmonio saia da garrafa de novo...

Agora sobre o filme, Dee Snider juntou as mudanças sociais e tecnológicas de uma época da qual a internet começa a crescer gigantemente junto com um assunto que provavelmente interessa muito ao cantor, que é a area de body painting, piercings e sadomasoquismo.Mas também era numa época que os filmes de terror criavam novos idolos mas de certa maneira ficavam só no assasinato básico, enntão podemos dizer que Strangeland (nome original do filme) foi um dos primeiros filmes de torture porn feitos antes do BOOM do gênero com Jogos Mortais e O Albergue.

A primeira parte do filme não te seduz muito, mas a medida que os personagens de Cage e Howdy se aproximam, a trama começa a ficar bem mais interessante, já que no processo Howdy começa a se expor mais e seus tecnicas na tela não podem ser as mais gores, mas ao omitir certas coisas o calafrio na espinha é bem maior.A história é curta porem funcional, e ver Dee Snider atuando e sendo sádico é uma coisa bonita de se ver. Howdy se utiliza da anonimidade para atrair as suas vitimas e e no momento que se cura, não tem vergonha de anunciar a quem lhe interessa das merdas que faz.Cage se mantem frio perante tudo isso, mesmo quando sua filha é atacada duas vezes, e de sua omissão que faz a volta de Howdy e sua ira ser aplicada a todos, junto com a furia cega de uma multidão que não aceita a regenaração de Carleton, liderados por Jackson Roth (Robert Englund), assim recebendo o inferno do qual estavam procurando.

Algo importante citar é a trilha sonora do filme, com algumas bandas classicas (Anthrax, megadeth, pantera) e muitas banda do recem surgido new metal, como Coal Chamber, SOAD e depois de muito tempo, até então, uma musica inédita do twisted Sister, que é "Heroes Are Hard to Find".Você pode ouvir a cançõa e ver o resto da trilha sonora abaixo.

1 Dee Snider - Inconclusion
2 Sevendust - Breathe
3 Megadeth - A Secret Place
4 Pantera - Where You Come From
5 Anthrax - P & V
6 Snot - Absent
7 dayinthelife - Street Justice
8 Coal Chamber - Not Living
9 Bile - In League
10 Marilyn Manson - Sweet Tooth
11 Soulfly - Eye For An Eye
12 həd)P.E. - Serpent Boy (Radio Edit)
13 Kid Rock - Fuck Off featuring Eminem
14 The Clay People - Awake
15 System Of A Down - Marmalade
16 Nashville Pussy - I'm The Man
17 Crisis - Captain Howdy
18 Twisted Sister - Heroes Are Hard To Find



Uma prequel em quadrinhos chegou a ser publicadam pela Fangoria Studios antes de ser fechada, saindo assim só a primeira edição da revista, que logo depois foi publicada completa pela The Scream Factory.No caso ela foi escrita por Jesse Blaze Snider (filho do homem e criador de Dead Romeo) e desenhada por Stephen Mooney (Quadrinhos das series CSI e Angel).Uma sequ~encia do filme está a mais de 11 para sair e por enquanto sem sinal de chegar, provavelmente graças ao atrito de ideias entre Dee Snider e o diretor do filme John Pieplow sobre como o filme deveria ser mostrado, passando até por uma polêmica de um inédito versão do deeretor que nunca chegou a ser lançada (acho). Você pode ser mais sobre os lances que envolvem a part deux aqui, e por enquanto os ultimos rumores sobre a sequência é que ela começaria a ser gravada esse ano.

Bem, no fim das contas, Strangeland é um filme de terror que satisfaz as vontades tanto dos fãs de terror quanto os de heavy metal, e que apesar do interesse pelos personagens demorarem a acontecer, quando chega torna a experiência muito legal de ser assistida.

NOTA: 7.0


Titulo original: Strangeland
Ano de lançamento: 1998
Dirigido por: Henry Hathaway
Com: Dee Snider, Robert Englund, Kevin cage, Linda Cardellini
Estúdio: Shooting Gallery, Snider Than Thou Productions Inc.

sexta-feira, 13 de maio de 2011

Revirando o Baú Especial: X-Men O Filme


Vamos ter nessas proximas semanas "Revirando o Baú" só com filmes dos X-Men, aproveitando a chegada de X-men: First Class nos cinemas no começo do mês que vem. Boa leitura!


No inicio dos anos 2000, o gênero de quadrinhos tentava se levantar e tomar novo fôlego graças a novidade que foi Blade:O Caçador de Vampiros, depois de um conturbado fim de década com Batman & Robin. mas visando trazer novidades ao publico, uma das equipes mais populares dos quadrinhos chegou as telas logo depois, tendo uma importância tremenda para o gênero que tentava se consolidar de vez e ganhar respeitabilidade. mas como contar de maneira verossimel um historia em um mundo cheio de pessoas super poderosas? O primeiro filme dos X-Men trouxe pela primeira vez a sensação de que aqueles personagens fantásticos vivem no mundo real, e esse é, entre outros fatores que falarei agora, seu grande mérito para a história das adaptações de HQs para as telas.

Antes de mais nada vamos a história: a raça humana está evoluindo, e os assim chamados Mutantes começam a ganhar destaque dentro dos assuntos politicos, onde uma lei para registro de controle desses mutantes está sendo fortemente defendida pelo senador Kelly (Bruce Davison). Mas uma luta entre mutantes acontece escondido, de um lado Chales Xavier (Patrick Stewart), conhecido como Professor X, que defende uma convivência pacífica entre humanos e mutantes, e Eric Lensherr (Ian McKellen), conhecido como Magneto, que acredita que os mutantes são superiores e que merecem ter seu lugar de direito na terra e deixando os homo sapiens a mercê de sua extinção.Enquanto Charles tem uma escola que secretamente cuida e treina munates para fazer o bem, Magneto tem sua Irmandade de Mutantes que o apoia na supremacia de sua nova raça.

A história começa a se desenrolar de fato quando a jovem Marie D'Ancanto(Anna Paquin), codinome Vampira, foge de casa quando quase mata um garoto na primeira vez que seus poderes surgem. Fugindo na estrada, ela encontra Wolverine (Hugh Hackman), um mutante com garras de adamantium e super-regeneração com um passado misterioso, que são alvo de interesse de Magneto. Sobre proteção da equipe de Xavier, Ciclope (James Marsden), Tempestade (Halle Berry) e Jean Grey (Famke Janssen), agora os X-men tem que impedir um atentado as Nações Unidas que podem mudar o curso da lei de Registro de Mutantes.

Voltando ao tema da realidade dentro do filme, seu grande mérito foi levar o assunto principal e sua ambientação a serio e não deixar o fato de terem personagens com raios lasers interferirem no tema mestre.X-Men acima de tudo é uma historia sobre intolêrancia e preconceito, e as ações dos personagens centrais nesta guerra (Magneto e Xavier) são derivadas disso.Magneto viveu o horror do nazismo na pele e está marcado por ela até hoje, e suas ações na tentativa de não deixar ninguem sofrer pelo o que é só o deformou no ponto de virar aquilo que odeia. Xavier tenta demonstrar através da cultura e do aprendizado os caminhos para uma civilizações melhor, mas não significa que ele seja passivo durante uma briga, apesar de não gostar de ver sangue derramado.

Por outro lado, somos introduzidos para aquele mundo e seus pontos de vista por 3 personagens.Wolverine, Vampira e Senador Kelly. Vampira tenta encontrar lugar no mundo e controlar seu poder de maneira que ela consiga interagir socialmente. Wolverine não consegue se encaixar em nada, e aos poucos, quando meio que assume o ponto de vista do espectador, é sentido que para um bem maior ele precisa fazer parte da equipe, mas não necessariamente pela equipe, mas sim pela garota que ele criou alguma afeição. Kelly mostra o lado preconceituoso do ser humano e também quando o preconceito é com ele, e como nos comportamos perante ambas as situações.
Alias, aplausos para Hugh Jackman por ter sido um desses casos raros onde o ator vai ser para sempre relacionado ao personagem, no sentido bom da coisa, por uma interpretação assustadoramente fiel ao personagem, apesar que a falta de violência nas cenas de ação dele incomodou alguns, mas não tira o merito do cara.Patrick Steward e Ian Mckellen também merecem congratulações por terem feito as versões definitivas (até agora) dos personagens nas telas.

Apesar de muitos reclamarem, achei que James Marsden fez uma interpretação condizente com o personagem, Halle Berry teve pouco espaço pra explorar de fato Tempestade (coisa que um Oscar na prateleira iria mudar) e Famke Janssen foi super competente fazendo Jean Grey.Muitos podem ver o embate entre os X-Men e a Irmandade como "os bonitos versus os feios", mas esse foi um artificio foda, pois temos os X-Men que "se disfarçam" de humanos e não podem se relevar ao mundo, enquanto a irmandade não tem vergonha de sair e se exibir como um mutante.

O tempo de filme pode ter simplificado um pouco as coisas, mas foi um caso onde "menos é mais" funciona na hora da edição. Graças a excelente direção de Bryan Singer (que eu aionda considero um diretor foda), esse filme dos X-Men tornou pela primeira vez os heróis de fato em carne e osso, indo na mão contraria de exagerar a caricaturizar os personagens em suas adaptações que fez o gênero de adaptações de HQs entrar em uma rapída decaida. A partir daí, a evolução chegou.É tempo de aproveitar.

NOTA:8.0


segunda-feira, 9 de maio de 2011

CinemaScope: WWE Studios

Publicado origialmente em: http://www.uarevaa.com/2011/05/cinemascope-wwe-studios.html


http://2.bp.blogspot.com/_vqr586h0UZM/TR-4V8h99GI/AAAAAAAAEGI/YfCQEKWo8T0/s1600/cinemascope.GIF

Com a chegada de Velozes e Furiosos 5 (conhecido como Fast Five, o filme do punheteiro marombeiro), o CinemaScope dá uma olhada em uma produtora especializada em filmes de brucutus porradores, porque é originada de uma fabrica de brucutus porradores: WWE! BRING IT MORE!


Bem, o WWE Studios começou em 2002 com o objetivo de produzir longas metragens, filmes pra TV e series com seus lutadores, obviamente. neste ano, eles começam a fazer distribuição indepêndentes de seus filmes, alguns deles saindo do ambito de filmes de luta e vendo outras vertentes. Abaixo temos alguns filmes da companhia que devem sair esse ano.

That’s What I Am
Filme estrelado por Randy Orton junto com Ed Harris, fala sobre um tema recorrente esses dias, o bullying.Vemos o jovem Andy Nichol(Chase Ellison) que sofre com as zoações de seus colegas na escola.Pra completar, seu professor Simon (Helms) o põe junto com o pária da escola Big G (Alexander Walters), sacaneado por sua grande cabeça ruiva.Juntos eles tentaram superar os problemas por ser julgados por pessoas que acham que seu status de popular vão durar para sempre.

The Chaperone
Mais uma daquelas comédias bobinhas, dessa vez estreladas pelo Triple H. Ex-prisoneiro vira motorista de ônibus escolar e acaba se metendo em altas confusões quando numa escursão, dois bandidos ficam de encontro a eles.Nada que você não tenha visto antes na Sessão da Tarde.Coincidentemente esse filme foi dirigido por Stephen Herek, de 'Bill e Ted', Rock Star e 101 Dalmatas, crássicos dos anos 90.

Inside Out
Dos 3 filmes citados, Inside Out é o unico que ainda não saiu. Também estrelando Triple H,junto com Michael Rapaport (Prison Break) e Parker Posey (Highland Park).Pelo cartaz que vazou deve ter assalto, briga e explosões relacionados.

WWE Pictures no Cinema
Antes de ter ido de ve pro mercado de home video, WWE produziu ou co-produziu alguns filmes que chegaram a ficar bem famosos (graças ao The Rock).Vejamos alguns deles.

Bem Vindo a Selva
Um dos melhores filmes do the Rock, principalmete pros brasileiros e sua semifidelidade ao páis (EU VOU QUEBRRAR AH TUA CARA!), além de ser um competente e divertido filme de ação. A tocha do Xuazineguer foi passada para A Rocha neste filme.

O Escorpião Rei
O spinoff da Múmia com a estreia de The Rock no papel principal é um Conan pra crianças, mas pelo menos não anda modelando pra Loreal Paris que nem o novo Conan em Trêis Dê.Além de trazer o fodão Michael Clake Duncan e o ex-lutador Tyler Maine(X-Men, Halloween) e agostosa da Kelly Hu em cena, tem uma puta trilha sonora, como por exemplo essa parceria entre Rob Zombie e Ozzy Osbourne.

12 Quadras
O ultimo filme da produtora nos cinemas traz o garoto propaganda da Subway, Jonh Cena, que faz um policial que tem que passar por 12 trabalhos dignos de Hercules para poder salvar sua ex-namorada que foi sequestrada por um antigo inimigo.

Bem,acabei por aqui.Semana que vem o Palhetada e o Madrugada Macabra se encontrão no CinemaScope para falar do filme de Terror do Dee Snider (vocalista do Twisted Sister): Morbido Silêncio.Inté!