domingo, 4 de junho de 2017

Review: Wonder Woman (2017)


OBS: Sim, contém spoilers.

Com seus mais de 75 anos de idade, a primeira vez que a Mulher Maravilha esteve presente em um filme live action foi em ‘Batman v Superman: Dawn of Justice’, dirigido por Zack Snyder. A atriz escolhida para interpretar a personagem, Gal Gadot, teve (como praticamente tudo relacionado ao filme) teve varias criticas e um movimento “do contra” em relação a ela. Mas Snyder, entre suas muitas qualidades, sempre teve um ótimo olho pra casting, e o que acabou acontecendo é que Gadot foi a que roubou a cena no filme.

A Mulher Maravilha não só é a primeira grande super heroína da DC Comics, como também é um ícone feminista e, assim como o resto da trindade, um dos alicerces simbólicos do que é ser um herói. Rumores sobre um filme dela sempre estiveram por aí, mas sem nada concreto de fato. A vez que foi mais perto de acontecer um filme solo com a personagem foi entre 2005 e 2007, quando Joss Whedon foi chamado para escrever e dirigir o projeto.

Com a DC Films lançando seu próprio universo compartilhado, acabou-se por se dar foco de fazer um filme solo da Mulher Maravilha, devido a importância dela como personagem e de seu papel dentro daquele mundo. Mas um filme de ação estrelado por uma mulher sempre mostra o lado mais machista da industria que ainda tem, grandes dificuldades de se permitir ser e ter diversidade, na frente e atrás das câmeras. Houve tentativas de mudança nesse cenário, mas não em adaptações de quadrinhos.

O filme acaba tendo que atender duas grandes expectativas: de fazer um filme que respeite a personagem e que mostre que sim, diversidade é importante. Patty Jenkins (de ‘Monster’ e outros muitos trabalhos para a TV) foi a escolhida para a direção do filme, após substituir Michelle McLaren, e com Gadot tendo a grande responsabilidade de segurar seu primeiro filme como protagonista. Mas como o filme se saiu?

quarta-feira, 10 de agosto de 2016

Review: 'Suicide Squad' (2016)


O universo de filmes da DC Comics, oficialmente chamado pela Warner de 'DC Films' chegou em seu terceiro filme este ano, depois dos (sim) clássicos e essenciais 'Man of Steel' e 'Batman v Superman'. mas algo não fazia parte do planejamento original. David Ayer, tentando expandir seus horizontes, chegou a Warner com um projeto que foi rapidamente aprovado e encaixado dentro do calendário de filmes da DC Comics. 'Suicide Squad', adaptando a versão moderna concebida por John Ostrander, foi uma grata surpresa para fãs e não fãs, trazendo uma adaptação de quadrinhos estrelado totalmente por vilões. E como o filme se saiu, sendo o primeiro projeto da 'DC Films' com outro diretor além de Zack Snyder na direção? Continua abaixo, com SPOILERS!

sexta-feira, 29 de julho de 2016

Review: Batman - The Killing Joke (2016)


'Batman - The Killing Joke', feita por Allan Moore e Brian Bolland, é um clássico e não é de graça. Uma revista que puxou os limites de como se fazer quadrinhos na época, trazendo uma história do Batman com maturidade e violência nunca vistas, além de dar uma origem icônica para um personagem igualmente icônico como o Coringa e mudar drasticamente o futuro de Barbara Gordon/Batgirl. Uma história que até hoje envolve muitas polêmicas devido as escolhas feitas, e como isso até hoje as afeta,e claro, uma adaptação dessa em forma de filme só tem a continuar que a obra seja comentada e analisada. E então, como será que o filme se saiu?

sexta-feira, 15 de julho de 2016

5 contra 1: HQs para se ler antes de 'Suicide Squad'


Falta muito, muito pouco pra 'Suicide Squad' finalmente chegar aos cinemas e como sempre, vão recomendações de leituras para conferir antes, durante e depois que o filme chegar. Com o imenso numero de personagens envolvidos no filme, não vou mentir que deu não deu trabalho, mas acho que essas histórias encapsulam melhor o que o filme deve ser (baseado no que foi mostrado). Então continue abaixo!

sexta-feira, 8 de julho de 2016

Homens São Valentes: A Jornada do Morcego de Gotham em 'Batman v Superman'


No primeiro editorial sobre 'Batman v Superman' feito por mim, foi analisado a jornada de Clark Kent nesse filme. E era inevitável que chegasse a hora de discutir a jornada do Batman, que no caso começa um novo capitulo dele nos cinemas, não seguindo a trilogia de Christopher Nolan e integrado ao DCEU em uma nova versão, e assim como Superman, teve uma evolução como personagem que saiu fora do habitual e que gerou duvidas e indagações. Esse texto aqui, como no feito com o Superman, procura analisar a trajetória do personagem e as influências dentro e fora dos quadrinhos para a construção do personagem. Continua abaixo:

quarta-feira, 29 de junho de 2016

Review: 'Batman v Superman: Dawn of Justice' - Ultimate Edition


Depois de alguns poucos meses e muita, mas muita discussão envolvida sobre, a versão estendida e original de 'Batman v Superman: Dawn of Justice' chegou (nas vendas digitais, o blu ray físico sai em Julho) e com muitas expectativas sobre como ele se sai, devido a forte incompreensão (e as vezes até má fé) as ideias do filme e do jeito que ele foi feito. Com a suspeita, e consequente afirmação que a Warner tinha vetado anteriormente a versão de 3 horas do filme pros cinemas, o que o filme muda em sua trama e o que muda também na percepção do publico? Continua abaixo, com SPOILERS.

terça-feira, 21 de junho de 2016

Revirando o Baú: Superman Returns (2006)


Havia um tempo, a muitas eras atrás, especificadamente após 1987, que os filmes estrelados pelo Superman por mais que tentassem voar das paginas de projeto para um longa metragem de fato nunca dava certo. Sempre havia algo que nunca fazia os projetos irem para frente: Houve a tentativa de colocar Superman na cidade engarrafada de Kandor em 'Superman V' aka 'Superman Reborn', o filme nunca feito por Tim Burton, o radical e lendário 'Superman Lives, e a versão proposta por McG com seu 'Superman: Flyby'. Todos estavam travados na verdade, em um mesmo problema: como seguir em frente, fazendo algo novo, se tudo que é dito e falado sobre Superman aponta para uma unica direção, que são os filmes do Christopher Reeve?

Bryan Singer, depois de ter revolucionado o gênero depois de seus dois filme da franquia 'X-men', chegou querendo assumir o filme do Superman com a unica proposta que ainda não tinha sido feita: em não mexer no time que está ganhando. A proposta do Superman dele era de exatamente utilizar os dois primeiros filmes de Richard Donner (e Richard Lester) como peça central para a construção do seu de fato retorno, afim de que lentamente colocasse outros elementos dos quadrinhos por essa ótica nas sequências. Mas como Singer percebeu ao sair o filme, havia uma questão de que eles, e muitos, não haviam percebido. E na celebração de 10 anos de 'Superman Returns', vamos relembrar o filme, mostrar o porque de sua importância e o que sempre trazermos ele a mesa nos faz lembrar. Continua abaixo.